QUEM SOU EU

Minha foto
Goiânia, Goiás, Brazil
Escrevemos sobre assuntos ligados à história goiana, genealogia, artes, artesanato e assuntos de interesse de nossa família. Portanto, esse espaço pertence a uma pessoa somente, é público, todos podem ler se quiser, pois aqui publicamos vários tipos de assuntos, a grande maioria dos leitores se manifesta positivamente e com elogios, o que agradecemos muito. Os comentários devem ser acompanhados de identificação, com email, para que sua opinião seja publicada.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

FAMILIA FLEURY /GUADIE LEY

No livro de Jarbas Jayme, " Do passado ao presente", de 1952, pagina 103 a 111, descreve os ancestrais da família Gaudie Ley que dá origem aos dois ramos da família Fleury, da vovó Geny Fleury de Barros ( Geny de Barros Loyola, cc Ignácio Bento de Loyola.

Lá pela metade do sec XVIII, emigra para Goiás Inácio Dias Pais, casado com Joana de Gusmão, filha do Capitão-Mor Bartolomeu Bueno da Silva, o moço, com outra Joana de Gusmão, portanto neta do famoso Anhanguera, Bartolomeu Bueno da Silva, o velho.

Dentre os dez filhos do casal Inácio e Joana está Ana de Gusmão, que se casou em Goiás com João Guadie Ley, filho do escocês Andre Gaudie e de Ana Ley.

O registro de seu falecimento André Gaudie se encontra em um dos livros mais antigos da Igreja da Sé, em São Paulo. Ele se casou no Rio de Janeiro e está sepultado na Igreja da Misericórdia.

De seu filho João Gaudie Ley, nascido em Paraty - Rio de Janeiro, e casado com Ana de Gusmão, em Goiás, promana uma das mais numerosas famílias radicadas no Centro e Sul do Brasil.

Dentre os filhos destaca-se o Capitão-Mor André Guadie Ley, mesmo nome do avô, ele governou o Estado de Mato Grosso de primeiro de janeiro de 1830 a 21 de julho de 1831, mesmo não sendo o governador tinha enorme influência no governo do Estado, especialmente, no período agitado e sombrio, na época da Independência do Brasil. Voltou a governar em 1833, mas ficou desiludido com os rumos da política, estava a população fazendo um levante, chamado "rusga" para mandar os portuguese embora do Brasil, nesta fase os dirigentes tinham que ter qualidades excepcionais de energia, discreção para antepor à onda de anarquia que se instalava. O Capitão André Gaudie Ley, representava o espírito conciliador, de tolerância, com voz mansa ponderava a prudência em meio a um torvelinho de paixões desencadeadas, procurando evitar maiores calamidades. Mas, não pode evitar o final de um grande massacre aos portugueses da cidade de Cuiabá, com 28 mortos e 14 lojas saqueada.

Sobrou para André Gaudie Ley, pois a população o chamara de Caramuru, ou seja amigo dos Portuguese. Indignado refugiou-se na casa de um amigo, Joaquim da Silva Prado, fora da cidade e de lá seguiu para Goiás, aonde ficou por dois anos, voltando a Cuiabá, após ter se acalmado a revolta.

Foi em Cuiabá que se casou com Mariana de Alvim Poupino, sobrinha do coronel João Poupino Caldas, político. André faleceu em Cuiabá em 17 de setembro de 1852, está enterrado na Sé da Catedral.

De seu casamento com Mariana de Alvim Poupino , destacamos as filhas:

Mariana Joaquina Gaudie Ley, chamada de "mãezinha" que se casou com João de Fleury Camargo, ela nasceu em Cuiabá em 16 de agosto de 1823. Faleceu em Goiás em 30 de agosto de 1910. Seu marido faleceu em 9 de abril de 1858. -(está na foto da primeira página)

O filho do casal acima João Fleury de Camargo, o Fleurizinho, casou-se em Goiás com a sua prima Augusta Luiza de Moraes, nascida em Cuiabá em 12 de março de 1845,

filha de Rosa Augusta de Pádua Fleury, cuiabana, nascida em 30 de julho de 1824, e de Teodoro Rodrigues de Moraes, de Jaraguá, nascido em 9 de novembro de 1816, filho de Jerônimo Rodrigues de Moraes e Luiza de França, Teodoro foi o primeiro goiano, filho de pais goianos, diplomado em Medicina. Primeiro médico goiano. São os pais da vovó Mariana de Moraes Fleury.

E Augusta Rosa Guadie Ley, nascida em Cuiabá, em 30 de agosto de 1809 e faleceu em Goiás, em 27 de setembro de 1869, casou-se com Antonio de Pádua Fleury, nascido em Santa Cruz de Goiás em 8 de dezembro de 1795. Eles se casaram em Cuiabá. São pais de Rosa Augusta de Pádua Fleury, que é mãe da nossa Mariana Augusta de Moraes Fleury.

Mariana Augusta de Moraes Fleury, nasceu em 27 de março de 1873, casou-se com Virgilio José de Barros, filho de Torquato José de Barros e de Arzelina Laura de Barros.

Vejam na árvore genealógica de maneira mais fácil.

FAMÍLIA FLEURY
 FOTO DA ÉPOCA DO IMPÉRIO 
   1805
Sentados da esquerda para a direita: João Fleury de Camargo, Mariana Augusta Gaudie Fleury, Mariana Joaquina Gaudie-Lei (Mãezinha), Maria da Glória Gaudie Fleury, André Avelino Gaudie Fleury.

Em Pé: Pedro Arlindo Gaudie Fleury, César Augusto Gaudie Fleury, Virgílio Gaudie Fleury, Luiz Gaudie Fleury



26 comentários:

  1. Nossa Maria Dulce, voce e demais! Obrigada pelas historias de nossas familias!
    Bjs Marcella

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de fazer uma pequena Contribuição: O nome correto da família é Gaudie Ley e surgiu em 18/04/1712 na cidade do Rio de Janeiro com o casamento de Andrew Gaudie (nascido na Escócia em 1682) com Ana Ley (descendente de alemães).
    Luiz A.F.Gaudie Ley

    ResponderExcluir
  3. eu sou neto de TORQUATO JOSE DE BARROS E DE Gracieta Fleury de barros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde,

      Gostaria de saber a sua ascendencia? Então junte-se à página da familia - Sousa Pinto de Barros Cachapuz. TORQUATO JOSE DE BARROS era neto de Torquato de Barros e irmão de José Joaquim de Barros e bisneto de Custódio Velozo.

      https://www.facebook.com/pages/Fam%C3%ADlia-Cachapuz/106403609382303

      Excluir
  4. 15/11/2010 - Corumbá de Goiás, a cidade de Bernardo Elis.
    Atualmente, Nesta cidade possui cidadãos com o nomes de Antonio de Pádua Fleury e nomes de André gaudie. Tem uma família, denominada Fleury Curado, composta com muitos elementos. Lá Mora um um cidadão que é descendente direto do Bartolomeu.

    ResponderExcluir
  5. com IGNEZ VIEIRA DE ALMEIDA, bisneta de Andrew Gaudie, este nascido em Jedburgh, Escócia e casado em 18/04/1712 na cidade do Rio de Janeiro com D ANA LEY, filha do inglês Richard Ley. Ingleses que se radicaram no Brasil e cujos descendentes se ramificaram por Goiás e Mato Grosso e e em São Paulo, pelos idos do sec XIX se envolveram com os construtores da Cia Paulista de Estradas de Ferro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre os Gaudie Ley em Mato Grosso veja: O Capitão Mór André Gaudie Ley e sua descendência, de José de Mesquita e Roteiro Genealógico de Mato Grosso - volume II de Adauto Alencar. Sou descendente desta familia, pela 5º filho, Ana de Alvim, mãe de Amélia de Alvim Gaudie de Albuquerque, ramificação Albuquerque.

      Excluir
  6. MARIA DULCE,que V sabe sobre IGNEZ VIEIRA DE ALMEIDA, bisneta de Andrew Gaudie, este nascido em Jedburgh, Escócia e casado em 18/04/1712 na cidade do Rio de Janeiro com D ANA LEY, filha do inglês Richard Ley e de D. Anna Ley. A família Gaudie Ley radicou-se no Brasil e seus descendentes se ramificaram por Goiás e Mato Grosso e em São Paulo, pelos idos do sec XIX se envolveram com os construtores da Cia Paulista

    ResponderExcluir
  7. Olá tenho 1 postal e 2 cartas de Oscar Fleury de Barros enviadas da França em 1919 para Luciola Fleury de Barros. Caso interesse, estou pedindo 100,00 pelo lote. André caminhodasletras@uol.com.br

    ResponderExcluir
  8. Sou bisneta de Mariana e Virgílio. Meu avô era Adahyl José de Barros e minha mãe Andiara Mendes de Barros. Dei a meu filho o nome do avô, Adahyl e minha irmã deu a sua filha, portanto, minha sobrinha o nome de Mariana. Ahm temos por cá um Virgílio também, em homenagem ao patriarca.

    ResponderExcluir
  9. Gostaria de saber se esta familia FLEURY tem alguma ligação com o Comendador Fleury que veio de Portugal e se estabeleceu em Pirenópolis em Goiás.

    ResponderExcluir
  10. Meu nome é Uiathan Barros Fleury e queria agradecer por ajudar a manter a história da família viva...meu tio chama Virgílio temos um Torquatro... e muitos outros nomes mas a maioria é nomes de antepassados.

    ResponderExcluir
  11. Quem era o pai de TORQUATO JOSE DE BARROS NETO. Eu sou bisneto Douglas Fleury Parreira Barros e neto de Benedito Fleury de Barros

    ResponderExcluir
  12. Sou Douglas Fleury Parreira Barros e gostaria de saber de quem e o pai de TORQUATO JOSE DE BARROS NETO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas, eis o que tenho: o primeiro Torquato Pinto de Sousa Barros era o pai de José Joaquim de Barros casado com Teresa Maria Pinto de Barros eram pais de: Guilherme José Cachapuz e Chaves que casou com Ana Rita de Sousa e tiveram Torquato José de Barros Cachapuz (1819)ele se casou duas vezes, primeiro com Guilhermina Francisca Vieira da Fonseca, e depois com Arzelina Laura de Freitas (são meus trisavós), em nenhum dos casamentos ele colocou o nome seu nos filhos, mas, seu irmão Benigno José de Barros casado com Inácia de Barros Fialho, deu o nome do avô para seu filho Torquato de Barros que se casou com Lizarda Velasco. Uma a sua irmã Teresa Maria da Conceição casou-se com Antônio José Caiado fez o mesmo, chamou o filho de Torquato Ramos Caiado que casou-se com Claudina Azevedo Fagundes. Portanto existem dois Torquato na terceira geração. Daí para a frente não tenho informações.

      Excluir
  13. Existe fotos do General Luiz Gaudie Ley que foi Presidente do Conselho Deliberativo do GBOEX, Porto Alegre, de 1952 até 1957?

    Estou montando a Galeria dos Ex-Presidente.

    Obrigado.

    joelpedreira@gboex.com.br
    (51) 3215-8144

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. JOEL, A UNICA FOTO QUE TENHO E ESTA QUE POSTEI AQUI HOJE, VEJA SE PODE AJUDAR.

      Excluir
  14. Olá, Maria Dulce, sou neta de Maria Augusta Morais Fleury, filha de João Fleury Camargo e Augusta Luiza Morais Fleury. Tenho interesse em conhecer um pouco mais sobre a genealogia de nossa família. Por isso me inscrevi neste blog. Estou organizando uma publicação sobre o ramo de meu pai, José Fleury de Brito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heloisa Brito estou pesquisando porque gosto de genealogia, tenho o livro do Jarbas Jayme e outros que citam a família Fleury, se puder ajudar, estou á disposição.

      Excluir
  15. Eu queria entender em que parte encaixam-se aí Josefa Teresa Caiado e Arlindo Gaudie Fleury, casados, sendo que este, abolicionista, teria vindo da França em fins do século XIX comandar o engenho da esposa. Tiveram vários filhos mas só sei o nome de dois, Georgita, que permaneceu solteira e cuidou do engenho após a morte do pai, e Geraldino, que se casou com Elisa Pereira de Abreu e teve duas filhas, Edina e Eponina, sendo que a primeira se casou com Wadjou da Rocha Lima, filho do presidente de província Miguel da Rocha Lima, e entre suas netas está minha mãe, que ouviu sempre esta história tal como eu a narrei agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Josefa Caiado foi casada com o Major Pedro Arlindo Gaudie Fleury, e tiveram os filhos Geraldino, Eugênia, Georgita (Gita), Carlos, Raul, Grisela, Ester, Vasco, Josefina, Luiz e Alice. Sou neto do Luiz Caiado Fleury (Lu Caiado), irmão mais novo de Geraldino.
      Josefa Caiado Fleury, mãe de Geraldino e Luiz, era irmã de Torquato Caiado, que era pai do famoso Totó Caiado, avô do deputado Ronaldo Caiado.

      Excluir
    2. Continuando: Meu avô, Luiz Caiado Fleury, se casou com Franklina de Loyola, irmã de Ignacio Bento de Loyola, pai de Clenon de Barros Loyola.

      Excluir
    3. Abri um grupo de genealogia geneagoias@yahoo.com.br se alguém se interessar em participar é so enviar um email para ser adicionado.
      Maria Dulce

      Excluir
  16. Oi anonimo,sou bisneta de arlindo gaudie fleury ou como de fato se chamava pedro arlindo gaudie fleury,segundo meu pai arlindo gaudie descendia de maezinha citada no texto acima. suas filhas eram: georgina c. fleury,esther c. fleury,alice caiado fleury, tia sinha (esta eu nao sei o nome) e graziela mariana caiado fleury. filhos de arlindo:carlito,geraldino,vasco,raul,e luiz.sou neta de vasco e de raul,portanto posso afirmar com certeza que arlindo era brasileiro e nao frances,estudou medicina ate o quinto ano a chegou a acupar a presidencia do estado por uns dias.

    ResponderExcluir
  17. Maria Dulce, bom dia!

    Primeiramente, gostaria de cumprimentá-la pelo primoroso trabalho: parabéns!
    Procuro os filhos do professor Theodoro Jeronymo Rodrigues de Moraes. Segundo Mesquita (1922):

    "Dr. Antonio Augusto Rodrigues de Moraes, formado em
    Direito, casado com D. Maria Eugenia Vasconcellos Rodrigues
    de Moraes. Residem em S. Paulo. O Dr. Moraes foi Chefe de
    Policia e Juiz de Direito em Matto Grosso.
    Teve o Dr. Moraes os 14: filhos seguintes:
    2-1 Theodoro Jeronymo Rodrigues de Moraes,
    professor normalista em S. Paulo, casado com D. Joanna
    Correa Rodrigues de Moraes.
    2-2 Floriano Rodrigues de Moraes, nascido em Cuyabá,
    em 1885, bacharel em Direito, casado, em primeiras núpcias
    com D. Maria Carmelita Escorel Rodrigues de Moraes e, em
    segundas, com D. Cândida Penteado Rodrigues de Moraes.
    2-3 D. Rosa Amélia Rodrigues de Moraes Russo, (†)
    casada com o Coronel Vicente Russo do Amaral.
    2-4 D. Leonor Rodrigues de Moraes Apocalypse, casada
    com o Dr. Raúl Apocalypse.
    2-5 João José Rodrigues de Moraes, bacharel em
    Direito.
    2-6 D. Izabel Augusta Rodrigues de Moraes, solteira.
    2-7 D. Carlinda Augusta Rodrigues de Moraes, solteira.
    2-8 Carlos Adolpho Rodrigues de Moraes.
    2-9 Joaquim José. (†)
    2-10 Jeronymo José (†)
    2-11 André (†)
    2-12 Rosa Augusta. (†)
    2-13 Alice Augusta. (†)"

    MESQUITA, José de.O Capitão--mór André Gaudie Leye a sua descendência (Ensaio de reconstituição histórico-genealógica. Rev. do IHMT - Ano IV - Tomo VIII - 1922

    Grata!Barbara

    ResponderExcluir
  18. Abri um grupo geneagoias@yahoo.com.br sobre genealogia, as pessoas interessadas podem mandar um email pedindo para ser aceito. Quem quer saber sobre as famílias goianas ali encontrarão respostas.

    ResponderExcluir

os comentários somente referentes ao blog, sem ofensas e com nome e sobrenome. Os ANÔNIMOS serão descartados. Até 10 linhas.