QUEM SOU EU

Minha foto
Goiânia, Goiás, Brazil
Escrevemos sobre assuntos ligados à história goiana, genealogia, artes, artesanato e assuntos de interesse de nossa família. Portanto, esse espaço pertence a uma pessoa somente, é público, todos podem ler se quiser, pois aqui publicamos vários tipos de assuntos, a grande maioria dos leitores se manifesta positivamente e com elogios, o que agradecemos muito. Os comentários devem ser acompanhados de identificação, com email, para que sua opinião seja publicada.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

DOMINGO... DIA FELIZ COM A CELEBRAÇÃO DO PADRE LUIZ AUGUSTO

Enquanto dirijo para a Comunidade Atos, com uma hora e meia de antecedência para poder conseguir estacionar mais perto da igreja e não ter que andar muito, penso nas pessoas que não podem ir por causa da falta do dinheiro para a condução ou para a gasolina, ou mesmo por falta do próprio carro ou ainda, porque a idade não permite.
Entrando na estrada de terra começo a contar os carros que foram à Missa das 7:30 da manhã, são mais de trinta carros que passam por mim, a maioria com mais de três pessoas dentro e imagino quantos carros já passaram, porque este trecho é de somente dois quilometros, portanto curto e muitos já teriam ido embora.
Quantos se entristecem todos os domingos com saudades de uma missa celebrada pelo Padre Luiz Augusto. Sinto-me privilegiada por ter um carro e poder ir aonde eu queira, neste caso ir até a Comunidade Atos para assitir à Missa de Domingo. Mas, continuo pensando com o coração amargurado, porque é muita poeira, são tantos buracos que até poderiam impedir às pessoas, mas não impedem. Falando em poeira, aonde está o asfalto prometido?
Coloquei o carro já na última fila do estacionamento, eram 9:30, as pessoas estão indo cada dia mais cedo para garantir os lugares mais perto do altar. São dois estacionamentos, quando o primeiro fica cheio, os carros que vão chegando seguem para o estacionamento de cima. Ainda, assim, muitos carros param na estrada, dos dois lados, não há lugar suficiente para tanto carro, tudo é muito bem orientado pelos voluntários que ali ficam. É uma pena ter que passar por isso tudo.
É necessário dizer novamente que não existe nenhum atrativo especial neste lugar: é distante, é empoeirado, é de difícil acesso porém, milhares de pessoas escolhem ali como seu local peferido no dia de domingo. Muitos são voluntários que chegam bem mais cedo e se unem em forma de mutirão para limpar o lugar, transformando-o. Tudo fica extremamente limpo, sem poeira. O que todos buscam e sabem que encontram ali é o conforto espiritual, a orientação necessária para o cristão que quer fazer parte de uma comunidade que trabalha pelo próximo. Buscam uma liderança sábia e obreira, de espírito elevado, caridosa e que de fato coloca em prática o mandamento de Jesus: "Amai-vos uns aos outros".
Como fico feliz em ver tantas pessoas, tantas famílias, tantos idosos e crianças com tamanha alegria, uns contagiando aos outros. É preciso agradecer e bendizer ao Senhor a graça de participar de uma comunidade assim.
Que dia maravilhoso, fecho os meus olhos para louvar ao Senhor. Ainda sinto meu coração apreensivo, mas escutando a primeira leitura, tento me concentrar neste momento, mas alguma força me leva às correntes que ataram São Pedro nas prisões de Jerusalém e em Mamertina, que, ainda hoje, estão expostas na Igreja de "San Pietro in vincoli"  - São Pedro Atado - em Roma. Lembro-me que ao entrar na igreja notei que havia um Padre celebrando a Missa, fiquei feliz e chamei o meu marido, meu filho, minha nora para assistirmos. Éramos nós com o Padre, atrás do altar aonde estão expostas as correntes, embora a igreja estivesse cheia de turistas. Ao terminar o Padre desabafou conosco: "Antes, era o contrário, se houvesse missa as pessoas respeitavam e ficavam em silêncio e a igreja era cheia de fiéis, hoje já nem ligam, eu estou sendo transferido e não haverá missa mais aqui". Ainda, me lembro de seu rosto amargurado. Fazer o que? O interesse financeiro ali é quem manda... O que diria São Pedro e/ou Jesus, se assistissem à cena que presenciei? Ou o que será que acontece em toda a Europa aonde existem milhares de igrejas que não são usadas para a sua finalidade e sim estão expondo peças de artes ou simplesmente são elas mesmas apreciadas como uma obra de arte. Aqui no Brasil, também, já temos algumas centenas de igrejas que não são utilizadas para a sua função primeira, muitas estão até fechadas. Muitos padres não conseguem encher as suas igrejas nem pela metade e outras chegam a fechar por absoluta falta de fiéis. Curiosamente, no jornal de hoje, na cobertura que faz sobre a romaria à Trindade se destacam as palavras do Cardeal Dom Cláudio  Hummes, afirmando que a modernidade tem afastado os fiéis da Igreja e culpando o consumismo por isso. Mas, o que realmente tem acontecido é que a informação deixou de ser privilégio de poucos, as pessoas hoje têm liberdade de se informar, discutir temas através das redes sociais e não se submetem mais às práticas obscurantistas até como foi rescentemente "o index proibitorium", que determinava o que podia e não podia ser lido pelos católicos. A Igreja não percebeu que a solução está na Palavra de Jesus Cristo: "a verdade vos libertará". Tudo tem que ser discutido, tem que ser dito, todas as contas tem que ser prestadas.
Goiânia, por ser uma cidade jovem, ainda não tem igrejas fechadas por ser uma obra de arte, mas tem muitas igrejas que são abertas uma única vez ao dia ou outras uma vez aos domingos por falta de sacerdotes e fiéis. Segunda-feira, por exemplo, a Igreja Ateneu Dom Bosco não tem missa pela manhã. Quem vai à missa todos os dias, se for da Paróquia, tem que ir a outra igreja, mas qual?
Aos diversos comentários que me enviaram, talvez assim possam ser respodidos. Existem padres que arrastam multidões, por suas mensagens, por seus exemplos como o Padre Marcelo, Padre Luiz Augusto, Padre Alcides e tantos outros. Imaginem se ao invés de isolá-los fizessem o oposto, criassem em torno deles uma grande estrutura de orações e de trabalho caridoso. A Igreja está devendo isso aos seus fiéis. O que se tem visto até agora é só a valorização dos padres medíocres, que não conseguem se sobrassair e precisam, na verdade, é seguir o exemplo e o comportamento obreiro dos Padres acima citados. É a fé em Deus que assegura à religião católica tantos seguidores e não a metodologia sem inovações que a retrocede aos tempos passados. Embora, cartas e textos significativos sejam escritos pela Igreja no dia a dia não são praticados. 
Jesus nomeou a Pedro dizendo: "Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno não prevalecerão contra ela". Não prevalecerão mesmo, pois por mais que façam e desfaçam dentro da Igreja de Jesus, o povo de Deus continua fiel, buscando ser o que Jesus pediu - amor. O clamor do povo de Deus será sempre ouvido, quem se refugia no Senhor sabe que as tribulações passarão. Deus livra e anima aos seus servos, acolhendo a todos. A comunidade é o povo de Deus.
A confiança e a credibilidade no sacerdote Padre Luiz Augusto é inabalável porque suas obras são visíveis, são mostradas todos os dias, são motivo de orgulho para todos os que colaboram através de doações financeiras ou trabalho pessoal.  Assim faz um bom pastor - consegue arrebanhar os fiéis para a sua igreja com a força da sua palavra. A sua maneira de evangelizar é que impulsiona a todos para agir em benefício do próximo. Não se vê neste espaço críticas a ninguém, muito menos se pensa em ocupar as mentes e as bocas com coisas desnecessárias. São centenas de pessoas preocupadas em agir, ajudar na evangelização e trabalhar pela Igreja de Deus.

5 comentários:

  1. Boa tarde !!!
    Minha amiga de fé,
    Fico cada vez mais feliz e impressionada com suas verdades,me estremesso por dentro de saber que existem pessoas com tamanha fé,sabedoria,alegria e nobreza em se referir a sacerdotes tão especiais e ilustres como Pe.Luiz Augusto,Pe.Alcides.Amo essas pessoas verdadeiramente, me sinto privilegiada de morar em uma cidade e saber que posso contar verdadeiramente com sacerdotes tão sábios,justos e confiáveis. Amém !!!!
    Não me referi ao Pe.Marcelo porque não tenho conhecimento pessoal com ele porém, tem todo meu respeito,minha credibilidade.
    Abs,
    Sandra Flores

    ResponderExcluir
  2. Júlio César Ivo4 de julho de 2011 22:25

    Maria Dulce que sábias palavras! Parabéns pela visão super. Moderna e afinada com as coisas de Deus, à primeira vista, o que me parece ir contra aos ensinamentos e palavras de Dom Cláudio Hummes.
    ...Na minha vida nunca foi fácil ser católico praticante, desde minha infância em que eu tinha que percorrer mais de 8 km a pé, por que não tinha meio de transporte na época (1974). Hoje, com minha vida estabilizada, por uma imposição, sabe-se lá de quem (ou sabemos), temos este transtorno que só é recompensado pela paz, pelos ensinamentos, pelos aconselhamentos, pela vontade de servir, pelas inúmeras obras, pela missão do nosso Padre Luiz Augusto.
    Maria Dulce, parabéns pelo blog.
    Júlio César Ivo

    ResponderExcluir
  3. sou uma dessas quantos, se entristecem todos os domingos com saudades das missas celebradas por padre luiz augusto.pois pelas dificuldades não pude me juntar ao rebanho e seguir o pastor, estou como uma ovelha acuada, ferida e com medo,que o lobo ataque novamente e mais ovelhas sejam dispersas. este lobo feróz é grande poder paralelo que existe dentro da igr.cat. que pratica injustiças,acoita escandalos que faz vergonha cita-los aqui. e pior de tudo negligencia a palavra de Deus que é a verdade que nos liberta.

    ResponderExcluir
  4. Esse dias fui a missa na chácara as 07:30, ao termino da missa fui ao Padre Luiz pedir sua benção em especial, vi em seus olhos a satisfação de todos nós ali presentes em uma capela pequena com um instrumento apenas e caixas de sons antigas, mas o seu sermão o mesmo. Ele abraçou um por um, e em meio de poucas palavras vi a satisfação de contar com todos nós ali presentes. Ontem mesmo liguei na radio e perguntei por que ele não estava mais na Tv e nem na radio, e em voz alegre a atendente me respondeu que, o Padre tirou um tempo para descansar. Eu acho o correto pois depois de fazer tudo que fez para erguer a igreja Sagrada família é difícil levantar e seguir em frente com a mesma força que tinha. Penso em quantas pessoas ficaram perdidas com sua transferência, que agora nem sabe que rumo tomar. Falo isso de experiencia própria, pois voltei a frequentar a missa do Urias Magalhães e quando comecei a firmar com o padre Uarley, ele foi transferido também. Lembrando que ele foi uns dos pupilos do padre Luiz e sua comunidade dobrou de fieis ao comandar essa igreja por 03 anos.
    Bem pessoal, o negocio e rezar muito pois a vida não tá fácil e espero mesmo que a mudança do padre Luiz não foi por Politica.
    Fiquem todos com Deus!

    Assinado por, Abençoado

    ResponderExcluir
  5. E VERDADE MAS ELES TIRAO VARIOS PE QUE REBANHAO COMUNIDADE, LA NA IGREIJA STO EXPEDITO JD AMERICA , TINHA PE DIVINO, MARAVILHOSO, CARIDOSO E UM LIDER NATO, A IGREIJA ERA LOTADA AGORA COLOCARAM UM MORNO. E TEM OUTROS IGUAIS A PE LUIZ, E AS IGREIJA ESTAO CHEIAS PE MARCOS, E PE ARTUR.

    ResponderExcluir

os comentários somente referentes ao blog, sem ofensas e com nome e sobrenome. Os ANÔNIMOS serão descartados. Até 10 linhas.