QUEM SOU EU

Minha foto
Goiânia, Goiás, Brazil
Escrevemos sobre assuntos ligados à história goiana, genealogia, artes, artesanato e assuntos de interesse de nossa família. Portanto, esse espaço pertence a uma pessoa somente, é público, todos podem ler se quiser, pois aqui publicamos vários tipos de assuntos, a grande maioria dos leitores se manifesta positivamente e com elogios, o que agradecemos muito. Os comentários devem ser acompanhados de identificação, com email, para que sua opinião seja publicada.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

PADRE LUIZ AUGUSTO E A COMUNIDADE ATOS - O BEM É COISA DO SENHOR!


Deus deixou em nós uma semente sã, boa para se ter sabedoria e agir bem.  
Podemos dobrar os joelhos ao chão e intensificar as orações e pedir a Deus misericórdia para esse nosso mundo, ainda tão soberbo, rancoroso, “governado pela avareza, pela ambição, dominados pelo orgulho, pela injustiça e pela luxúria” isso dito por São Bernardo em 1141, para defender os princípios e os ensinamentos de Jesus Cristo em sua ordem.
A história de São Bernardo está distante em anos de nós, entretanto, qualquer leitor pode notar a semelhança nas atitudes humanas, quando se trata de defender a Igreja, os fiéis e nos mostra que mesmo sendo ele um monge (padre), ele esteve indignado com os dirigentes da Igreja. Recorre a Deus e suplica a ajuda do Papa Inocêncio II, escrevendo a ele uma carta, vejam esse pedacinho: “Acreditava até hoje ser alguma coisa ou pouca coisa, mas verifico, agora, que sou nada... Não me tornei sequer um homem de poucos méritos, mas um nada... Por que esse tratamento? Em que vos ofendi? Eis que nem ao menos ouso falar-vos dos perigos iminentes que ameaçam a Igreja, do cisma implacável que tememos e das inúmeras desgraças que nos aguardam...”
Lendo essa historia da Igreja, reflito e concluo que nada disso deveria se passar na Igreja moderna de hoje. Com os recursos que tem, ela se mantém informada, atualizada e sabe dos anseios de seu povo, que pede que a Igreja aja com mais generosidade, fraternidade e igualdade.
Evangelizar é, antes de mais nada, partilhar a própria experiência cristã, o encontro com Cristo que faz mudar a própria vida. Temos lido sábios ensinamentos da Igreja que deveriam ser, realmente, postos em prática.
Como responder essa pergunta feita pelo Papa? “O que a Igreja tem que mudar para ser anunciadora neste mundo?”  Dentre as respostas, encontramos as palavras do Papa sobre os carismas dos padres renovadores, que trazem as pessoas e, principalmente, os jovens para a Igreja.
A Igreja sofreu o desgaste do tempo, impor sem diálogo é inconcebível. Ela é perene em sua mensagem, a Palavra de Deus está entrosada com o dia a dia das pessoas, qualquer parte da Bíblia é valorosa e atual, mas, é necessário que a Igreja transmita a Palavra atendendo os anseios do povo, evangelizando com ardor, transmitindo a esperança, a esperança cristã de uma vida nova. Não se faz isso de forma monótona, repetitiva, mas inovando, criando ao anunciar a Palavra de Deus uma verdadeira força espiritual, que toque os corações das pessoas.
Passar mais um Domingo sem escutar um sermão, que toca o coração da gente, é de doer na alma, tanta necessidade da Palavra de Deus, mas, temos um empecilho... As pessoas, as crianças, todos não entendem e sentem falta da comunidade unida, rezando e louvando a Deus. Sentem falta da do “puxão de orelhas” dado de forma correta, sentem falta da Eucaristia, das músicas, sentem falta do missionário e servo de Deus Padre Luiz Augusto. Permita Senhor, que ele volte a evangelizar o seu povo. Deus o proteja e abençoe!

Serve de consolo esse conselho de São Bernardo: “Conhece a tua própria medida. Não te deves rebaixar nem te engrandecer, nem te esquivar nem te exibir. Se queres conservar a medida, fica no centro. O centro é um lugar seguro: é a sede da medida, e a sede da medida é a virtude... O afastamento geralmente implica exílio, extensão, ruptura, elevação, queda e profundidade, afastamento.
Avança, pois, com precaução nessa consideração de ti. Sê intransigente para contigo. Evita, quando se tratar de ti, o excesso de complacência e de indulgência.
Que não haja, sobretudo, nenhuma fraude em teu espírito!
É preciso que a partilha seja leal: a ti o que é teu, a Deus o que é de Deus e sem má-fé!
Acredito inútil persuadir-te de que o mal provém de ti e o bem é coisa do Senhor!   

O Bem é coisa do Senhor! Amém! 

2 comentários:

  1. Boa Noite!!! Invejosos deixem o Pe Luiz trabalhar já que todos vcs juntos não conseguem fazer o que ele faz. que coisa feia Homem ter ciumes de outro Homem e o fim do mundo mesmo.

    ResponderExcluir
  2. Ána Cláudia Pacheco22 de novembro de 2011 21:05

    Maria Dulce quero parabenizá-la , por escrever tão bem , ser uma mulher de Deus e não cruzar os braços como muitos estão fazendo .
    Publique seu artigo no diário , pois este está entre um dos melhores .
    A luta é constante , se Deus é por nós quem será contra nós?
    Ana Cláudia Parrode Pacheco

    ResponderExcluir

os comentários somente referentes ao blog, sem ofensas e com nome e sobrenome. Os ANÔNIMOS serão descartados. Até 10 linhas.